Relatos 2010

Últimos dias da lua de Novembro

Foi mais um fim de semana de fortes emoções! Éramos 4 a caçar, 1 Arqueiro e 3 besteiros, e com excepção do Hélder ter chegado ao cevadouro e ter dado de caras com os javalis, apenas eu tenho que contar. Uma vez mais é uma pena não vos conseguir mostrar imagens, sons ou cheiros! Quem sabe um dia!

Sexta feira á noite
Distraí-me com as horas e acabei por ir para o local escolhido, já cerca das 18h00. É tarde demais, sei-o bem, e assim vou praguejando, pelo caminho fora. Quando faltam não mais que 70m para o cevadouro, ouço algo que me faz parar!
São roncos de javalis e bem pertinho, sob a protecção das azinheiras! Aguardo uns segundos, pensando que me tinham ouvido, mas apercebo-me que continuam na sua azáfama! Chafurdam numa poça de água e esfregam-se numa árvore…
Tiro a besta do ombro e preparo-me para puxar a corda para a armar, quando me apercebo que algo vem na minha direcção!
Estou já curvado sobre a arma quando aparecem 2 jovens javalis, com cerca de 30Kg, que ficam tão surpresos quanto eu! Imobilizam-se a 2 metros de mim, sob a minha direita e fitam-me! Eu nem respiro e olho-os pelo canto do olho… curvado sobre a besta!!!
Um deles ronca e arranca em corrida para voltar a parar a 2 ou 3 metros de mim, mas agora do meu lado esquerdo. Mais um ligeiro grunhido e avançam os dois mato a dentro, a andar, calmamente! Acho que não chegaram a perceber “o que eu era”!
Depois de me recompor desta cena, continuo a tentar chegar á minha cadeira mas não é tarefa fácil! A zona está repleta de javalis e por várias vezes me escondo para ver se volta a sair mais algum ao caminho, mas desta vez com a besta armada. Não volto, no entanto, a ver mais nada.

Cerca das 21h00 e depois de ter ouvido javalis inumeras vezes, novo som de paus a partir despertam-me os sentidos. Estava meio adormecido mas o som foi suficiente para voltar a pegar a besta, que habitualmente está pousada no chão. Passam-se alguns minutos e vou-me apercebendo que algo se aproxima. Vem largo e provavelmente vai passar pelas minhas costas a coberto da vegetação. Nisto, ouço mastigar e viro os olhos na direcção do cevadouro. Novo espanto! Como conseguio ele ir ao cevadouro sem que me apercebesse!!!
É um grande javali. Ilumino-o por vários segundos e tenho-o perfeitamente na mira. Seria o tiro perfeito caso ele não se tivesse virado de frente para mim e saído disparado para a esteva mais próxima! Perdi a oportunidade e nem sei bem porquê! Ou melhor, até acho que sei! Fiquei de tal forma maravilhado e deu-me tanto prazer ver o javali que me distrai com o tempo… é mais um que fica!

Volto para casa com uma mistura de sentimentos. Ora feliz por ter tido o privilegio de estar uma vez mais bem perto dos javalis, ora desiludido por não ter apertado o gatilho… mas lá no fundo estou feliz! Tenho mais uma vez a prova que não é preciso matar para se caçar!

Sábado
Depois de refazer os cevadouros e ver como o solo está lavrado pelos javalis, decido-me por um novo posto, perto de uma várzea. Durante a semana foi visitado e como choveu bastante esta noite, tenho uma fezada que vão andar por estas zonas mais planas, onde a agua se acumula, aproveitando para a lavrar um pouco mais. Escolho um sitio abrigado, entre as estevas, e deixo lá ficar uma cadeira.

Hoje não me descuidei com as horas! Ainda não são 17h00 e já cá estou! O vento está de noroeste, o que afasta o meu cheiro do cevadouro, ainda para mais numa direcção por onde penso ser menos provável virem os javalis. Óptimo!
Está uma lua muito forte e o céu limpo não ajuda! Não se ouve nada, absolutamente nada!
Pelas 20h00 equaciono a hipótese de me ir embora mas apercebo-me que com o intensificar do vento, algumas nuvens se aproximam. Durante meia hora cobrem e descobrem a lua, até que finalmente perto das 21h00 a lua fica totalmente coberta,o vento abranda e fica uma luar menos intenso. Com estas condições, não foi preciso esperar mais que 5 minutos. Ouço 2 javalis a ralhar, pelas minhas costas a cerca de 100m.
21h20 começo a ouvir um javali a aproximar-se pelas minhas costas, por um denso “esteval”. Continua a aproximar-se lentamente. Vem tranquilo. Bufa aqui e acolá sem imaginar que me encontro ali. Mas não seria por muito tempo!!!
Reparo que vem precisamente na minha direcção e quando está, talvez a 5/6m de mim, pára, toma o ar por duas vezes e rosna! Não admira pois o vento levava o meu cheiro precisamente na sua direcção!
3 ou 4 segundos a rosnar, dá meia volta e vai-se embora pelo mesmo caminho.
Devo-me ter sentado mesmo no meio do trilho que o costuma levar ao cevadouro. Pouca sorte.
Depois disto venho-me embora dando o meu tempo por bem empregue.

Boas caçadas
PF

Lua de Novembro 2010

Nestes primeiros dias da lua de Novembro recebemos um divertido grupo de arqueiros caçadores, que nos visitaram pela primeira vez.

Foram dias de grande expectativa e emoção  que foram sendo alimentados por vários avistamentos de javalis, de manhã á noite!

De todos os arqueiros, só um não teve a felicidade de ouvir e ou ver javalis, mas efectuou uma verdadeira proeza!

Não se mataram javalis mas a opinião é unanime! O local é excelente, a paisagem linda… e tem muita caça.

Todos prometeram voltar em breve!

Na primeira noite, os caçadores que nada conheciam da ZCT, foram distribuídos por vários postos tendo tido o cuidado de os colocar de forma a cobrir os “4 cantos” da herdade. Combinamos o regresso por volta das 23h.

Quando chegam, vejo pelas suas caras que trazem boas notícias!

O Miguel teve um javali quase a entrar no cevadouro, mas este, talvez por causa de “um golpe de vento”, deu meia volta e desapareceu.

O Nicko e a Verónica tiveram um javali a cerca de 20m. Comeu bolotas, banhou-se numa poça de água… mas não lhe apeteceu entrar ao cevadouro. Segundo dizem, pelo barulho que fazia e a forma como pisava, deveria ser um bom javali!

O Guanche teve por várias vezes, javalis a passar perto dele mas não se mostraram. Quando decidiu voltar a casa, já perto desta, teve um encontro com 2 machos. Ainda os viu de perto mas o “mais velho” fez questão de “dizer” que o local era perigoso e lá se foram!

O jantar foi acompanhado de uma alegre troca de histórias e experiências. Ficou decidido que, depois de uma ou duas horas de descanso, voltariam “á carga”! Assim o fizeram.

Acordar ás 5 da manhã, suportar um frio de rachar seguido de umas boas caminhadas… deu os seus frutos!

Como mais nada conheciam, fizeram-se a caminho dos postos onde estiveram na vespera.

O Miguel, a cerca de 300m do seu posto, apercebe-se de um javalí (diz ter cerca de 80kg) a vir pelo caminho na sua direcção. Ainda armou o arco e apontou, mas o javalí, que provavelmente se apercebeu da sua presença, saíu do caminho e embrenhou-se no mato.

O Nicko tambem voltou ao seu posto da vespera. Quando está a alguns metros deste, apercebe-se que um grupo de javalis se antecipou e se está a banquetear com um belo pequeno-almoço de milho. Tenta aproximar-se mas um deles dá sinal e todos fogem!

Passadas estas emoções, nada melhor que dar mais um passeio para conhecer um pouco mais o terreno e aproveitar para dar umas flechadas a uns coelhos que vão passando á frente.

    

E para descontrair …  uns tiritos no “campo de tiro”.

Um passeio pela ZCT para conhecerem os postos

A segunda noite

Miras afinadas, estômagos mais aconchegados …  estão reunidas as condições para írmos para mais uma espera!

Depois de terem conhecido os diferentes postos, cada um escolheu aquele que mais lhe despertou a sua imaginação. Saiem cedo e ás 17h00 já estão colocados nos seus locais. Combinamos o regresso para cerca das 23h00.

As expectativas estão agora ainda mais elevadas que na vespera. Depois do que se viu na noite e madrugada passada, todos esperam ter a sorte do seu lado.

Eu tive um javali a menos de 20m mas não o cheguei a ver. Tomou o ar por várias vezes, roncou-me e foi-se embora… devagar. Não ouví mais nada.

Cerca das 20h00 o meu Amigo Abel envia-me um sms onde dizia ter tido um javali no cevadouro (??!!). Não atirou? Vim depois a saber que o javali passou pelo cevadouro sim, mas não parou um segundo que fosse…

Voltamos a casa com alguma ansiedade para saber como teria corrido a espera aos outros caçadores. Não recebí mais nenhum sms…  nem nenhum pedido de ajuda para pistear um javali… não era bom sinal!

Afinal tiveram mais uma dose de divertimento!

O Miguel decidiu não ir para o mesmo posto. Escolheu um relativamente perto da casa.

Teve javalis no cevadouro! Entraram vários animais e finalmente teve oportunidade de atirar!!! Falhou!!!!! Nem sabe bem porquê… (espero receber um pequeno relato contado pelo próprio). Se bem me lembro disse ser animal para cerca de 60/70Kg.

O Guanche esteve toda a noite a ouvir javalis! Passaram várias vezes a algumas dezenas de metros dele, mas por aí ficaram!

Uma vez mais tivemos um animado jantar, novamente acompanhado por uma mistura de histórias de antigas caçadas intercaladas nos relatos desta noite.

A segunda manhã mostrou que nem sempre as previsões se enganam. Uma grande chuvada acompanhada por algum vento, desde as 4h00 até já de dia.

Apesar destas condições, ouve quem não dormisse!

O Miguel  voltou ao local da primeira espera. E desta vez que lhe aconteceu??? Nada de mais! Apenas foi acordado por um javali que lhe passou por baixo do seu posto! O animal andou por alí alguns minutos, até que se foi embora, calmamente!

Já a meio da manhã vejo o António com um grande sorriso na sua cara! Apesar das condições climatéricas foi dar “uma volta aos coelhos” e conseguiu uma autêntica proeza! Foi o primeiro arqueiro a matar uma perdiz com arco na nossa ZCT. E também foi a sua primeira perdiz com arco.

Como se isto não fosse suficiente, o animal foi morto a cerca de 30m e com uma ponta de caça maior! Das que se utilizam para os javalis! Que tiro!!! Parabéns António!

1ª perdiz morta com arco

Parabens António!

Obrigado a todos pela excelente companhia e camaradagem.

Esperamos ver-vos muito em breve!

 PF

8 Responses to Relatos 2010

  1. Verónica says:

    En esta finca siempre te lo pasas bien, sera porque te rodeas de muy buenas personas..
    El relato muy bueno Paulo! la finca esta preciosa y como siempre se ve buen movimiento de animales.
    Ya veo que pasasteis un buen fin de semana y eso es lo importante.
    Un saludo Paulo!

    • pduran says:

      Hola Veronica!!! Que tal? Y la pequenita? Y Carlos?

      He leído en lo forum de la COMUNIDAD ARQUERA HISPANICA y te digo que estoy deliciado con lo que dicen de nuestra finca! Casi me olvido y me apetece apuntar también para ir allí! jejeje!

      Un beso de Carla y un Abrazo para Carlos
      PF

  2. Primero dar las gracias a Paulo y su familia por haberme hecho sentir como en casa, tambien dar las gracias a los compañeros que han compartido conmigo estos dias y a los que estoy orgulloso de haber conocido (Nicho, Vero, Turok y Guanche, al que ya conocia y que me ha gustado volver a coincidir con el). Me lo he pasado genial, he disfrutado mucho, no he visto jabali, pero se que hay muchos, he conseguido recechar una perdiz y cazarla, he comido como un rey, me he sentido cazando libre pues la confianza que paulo nos ha dado ha sido increible, en definitiva, yo repito.

  3. Manuel says:

    Alli siempre se está como en familia… y si encima tuvieron jabalís, pues fenomenal.
    Que pena que no haya poddido ir esta vez, pero la proxima vez será.
    Enorabuena al compañero de la perdiz, eso es un trofeazo¡¡¡¡¡
    Seguid así Paulo, al final será una buena finca, para la caza con arco. ÁNIMO¡¡¡¡
    Abrazos, para todos.

    Manuel.

    • pduran says:

      Hola Manuel

      Espero que si! Y que tengamos oportunidad de nos divertirnos por muchos y buenos años.
      Gracias por tu suporte!

      Abrazo
      PF

  4. Nicko says:

    Soy Nicko, y he tenido el placer de estar en esta maravillosa y emocionante finca en la luna de Noviembre. Gracias a Paulo, Carla, Abel y Cristina por atendernos tan maravillosamente y hacernos pasar un fin de semana de autentico lujo.
    Esta finca esta plagada de jabalies y el sitio es ideal para la caza con arco. Estos astutos animales nos han dado un fin de semana de inolvidables emociones, poniendonos alerta en incontables ocasiones con sus aproximaciones a los puestos de caza. La cantidad de bellotas y el tiempo cambiante debido a que venia lluvia y la mala fortuna, nos ha impedido abatir algun jabali, pero eso no ha impedido que hayamos disfrutado de unos magnificos dias de caza en un paisaje precioso y lleno de vida. Conejos y perdices tambien hicieron templar nuestros nervios y dieron emocion a las mañanas despues de haber desayunado.
    Espero poder volver muy pronto a este hermoso paraje, a disfrutar de la maravillosa compañia de nuestros anfitriones y amigos cazadores y vivir nuevos y emocionantes lances.

    Un saludo!

    • pduran says:

      Que decir a uno comentario como lo que haces!

      MUCHAS GRACIAS!
      Te espero ver pronto!!!

      Abrazo
      PF

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s